Thymos e a massa

Me espanta como pessoas de boa índole insistem em atacar a credibilidade das universidades públicas. Fico surpreso, pois, em mais de duas décadas nestas instituições, tenho certeza que tais generalizações são equivocadas. Digerindo minha perplexidade, refleti que estes ataques fazem parte de uma tendência contemporânea, que pode ser analisada sob duas perspectivas, que interagem entre... Continuar Lendo →

Anúncios

Cinco citações marcantes de Quincas Borba

Quincas Borba é um clássico de Machado de Assis, que, junto de Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro, forma a chamada triologia realista do autor. Nesta obra, publicada em 1891, nos é apresentado Rubião, um professor de Barbacena, discípulo de Quincas Borba, filósofo do Humanitismo (explico melhor abaixo), de quem, posteriormente, se torna... Continuar Lendo →

Na padaria perto de casa…

Na padaria perto de casa, um omelete e uma xícara de café passado. Assim que chegou meu pedido, não pude deixar de perceber algo que de tão banal nos dias de hoje costuma passar despercebido. Em seis mesas isoladas, seis pessoas completamente hipnotizadas mexendo em seus respectivos smartphones, inclusive este que vos fala... Um retrato... Continuar Lendo →

Assuma a própria ignorância

As redes sociais têm feito proliferar entre nós a "ilusão do conhecimento", que se materializa, a todo tempo, na forma dos mais diversos especialistas. Como filhos do iluminismo, construímos uma sociedade pautada na ciência e na técnica, que de fato requerem um treinamento absolutamente especializado de recursos humanos. Esta realidade se faz transparecer no dia-a-dia,... Continuar Lendo →

Uma corte de alucinados

É inegável, meus amigos, que a vida é, em grande parte, feita de acasos e absurdos, que, por incrível que pareça, insistem em se repetir. Nestes dias no sebo da cidade, entre obras de ficção e não-ficção, encontrei algo que me chamou a atenção. Um livro de capa de couro, que aparentava grande antiguidade, escrito... Continuar Lendo →

Às vezes o silêncio basta…

"...Liévin não gostava de falar nem de ouvir outros falarem sobre a beleza da natureza. Para ele, as palavras retiravam a beleza daquilo que via. " Trecho de Anna Kariênina, de Tostoi, sobre a banalização do que é naturalmente complexo a partir da necessidade de atribuir significados por meio de palavras. Às vezes o silêncio... Continuar Lendo →

A velocidade da luz…

Segundo os físicos, se pudéssemos viajar a velocidade da luz seríamos esmagados por forças gravitacionais absurdas… Mas em nossa breve existência, também não estaríamos sujeitos à força esmagadora de nossas próprias experiências? E neste contexto, nosso caráter não seria mais resultado da ausência de certas experiências do que aquilo que de fato experimentamos? Reflexões pós... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑