Duplicidade…

Adquiri recentemente o livro Contos de Anton Tchekhov, versionado para o português por Tatiana Belink. No primeiro texto, "A senhora com o cachorrinho", uma ótima reflexão sobre a duplicidade da existência humana...Uma duplicidade expressa por um vida pública, exterior, pautada nas aparências e uma vida privada, interior, pautada em nossa essência. Como também escreveu Machado... Continuar Lendo →

Anúncios

Um dia de aula qualquer…

Dez para as oito… Na sala, luzes apagadas, janelas fechadas, carteiras vazias e um quadro com vestígios de um outro professor, que apago pacientemente… Aos poucos a turma chega. Os alunos vão ocupando seus respectivos lugares. Alguns permanecem absortos. Outros, em uma animada conversa entre si. A aula começa…neste teatro que é a vida, interpretamos... Continuar Lendo →

Medo da morte ou vontade de morrer?

Eu disse ao médico, que vinha todos os dias: “Ele tem uma excepcional vontade de viver, não tem?” “Acha que é isso? Eu diria que é um enorme medo de morrer.” “Existe alguma diferença?” “Céus, é claro! O medo não lhe dá forças, pelo contrário, esgota-o”. Trecho de “Retorno a Brideshead”, escrito por Evelyn Waugh,... Continuar Lendo →

1 de janeiro de 2018

2018! Chego na minha 4a década de vida. Reflito que nesta jornada da própria existência, possivelmente, a maior parte do caminho já tenha sido percorrido. Deprimente? Talvez…mas procuro uma outra perspectiva e vislumbro a ideia confortante de pertencer ao ciclo natural das coisas, com início, meio e fim. Pensar no tempo que passou e no... Continuar Lendo →

A vida, apenas uma sucessão de instantes…

Procuro ordem no caos… Busco significado na insignificância… Dou sentido ao vazio... Crio histórias e acredito em narrativas... Desejo um início, meio e fim... Mas talvez tudo isto seja inútil.. Como diz Borges: "Toda linha reta é o arco de um círculo infinito”... E a vida, apenas uma sucessão de instantes...

Isso é água…

"...as realidades mais óbvias, ubíquas e importantes são frequentemente as mais difíceis de se ver e discutir. Declarada como uma frase, é claro, isso é só um lugar-comum banal – mas o fato é que, nas trincheiras diárias da existência adulta, lugares-comuns banais podem ter importância de vida ou morte" David Foster Wallace https://youtu.be/ZOgeWOds-Ek

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑